Terça-feira, 10 de Junho de 2008
Quebra nozes

Ontem foi dia de estreia teatral. Aproveito para aconselhar, a peça chama-se Punhal na Carne e está no Teatro do Campo Alegre, Porto; até dia 29 de Junho. Excepto segundas.

E se o teatro é a arte dramática por excelência, ontem homenageou-se o drama em toda a sua  pujança.

Estávamos todos no átrio da entrada numa alegre cavaqueira e eu estava em modo de criança aborrecida com fome - só iamos jantar depois da peça e eram quase 22:30 - junto à meia duzia de degraus que desciam para a sala.

Esse vão de escada estava equipado com um elevador daqueles de corrimão para deficientes e eu, ali ao lado a imaginar cadeiras de rodas, e gente estropiada comecei a tentar perceber onde era o botão daquilo.

Quando o descobri, no mesmo momento em que lhe toco, a uns centimetros de mim uma pobre senhora mandou um espalhanço que se partiu toda lá em baixo. Coitada, ainda ficou uns segundos sem se mexer. Foi para o hospital viva e consciente. O resto dos presentes, nós, sofisticados e superiores mal olhámos para a cena. Afinal estávamos numa estreia de uma peça erudita, e não de uma comédia do Joaquim Monchiqe.

Portámo-nos todos de acordo.

Não fui às casas de banho, estando em Portugal acho que se usa mais o "muita merda" em vez do "break a leg". O que é certo é que correu tudo muito bem e estava tudo muito agradável.
 


 



por Pedro Chichorro às 22:52
link do post | comente | adicionar aos favoritos

2 comentários:
De Anónimo a 14 de Junho de 2008 às 17:39
Isso é conhecido por MSCAACVD "Mecanismo Sub-consciente de Activação Automática de Contacto Voluntário à Distância." Acontece com frequência. A queda da senhora foi premeditada e partiu de ti. Foi activada pelo toque no botão. Determinadas pessoas apresentam o perfil adequado para desencadearem MSCAACVD. Um dia, quando festejava na minha rua o St. António, peguei numa acha incandescente da fogueira e atirei-a ao ar. Foi para em cima de uma caixa de electricidade. No preciso momento em que a acha tocou na caixa, ocorreu um apagão geral em Lisboa. Eu fugi para casa e até hoje sempre pensei ter sido o responsável. Nas sessões de psicanálise em grupo a que costumo assistir foi-me dito que também eu tenho tendência para desencadear MSCAACVD. De família?


De Pedro Chichorro a 14 de Junho de 2008 às 20:37
pois, agora a culpa é minha! sempre eu! ja tou habituado -.-'


Comentar post






.posts recentes

. Ainda alguém lê isto?

. Dicas de poupança - No de...

. Mensagem do futuro

. Bolores engenheiros

. Conversa no Taxi

. Juliette

. Escalada

. Despertador novo, vida no...

. Karma Police israelita

. Janela para o mundo

. Moda Lisboa - Sugestão de...

. Poema de um coronel sensí...

. La Planète sauvage

. A ceguinha

. Regra de ouro do consumis...

. Welcome

. Fátima Lopes

. Um desafio, um ovo e uma ...

. Tem ovo

. Thin Lizzy vs. The Pixies

. Nino Guitar

. Festa inexplicável

. Pequenos gnomos

. Sem querer aventurei-me n...

. Comércio tradicional

. Orgulhos lusitanos

. A quem interessar: encont...

. Números de telefone fácei...

. Gosta de alho? Eu adoro a...

. Vítor Gaspar





Add to Google Reader or Homepage



AddThis Feed Button
AddThis Social Bookmark Button