Terça-feira, 1 de Abril de 2008
O país dos beijinhos
Há duas doenças características dos portugueses: a doença dos pezinhos e a dos beijinhos.
É beijinhos por tudo e por nada, ora dá cá um e a seguir dá outro, mesmo com pessoas que vemos todos os dias no trabalho e com quem nem temos afinidade.

Há-que definir regras nesta coisa dos beijinhos e não me venham com o "Ainda não me deste dois beijinhos hoje!" ou "Não falo contigo enquanto não me deres um beijinho".
Quem me conhece sabe que não ligo nada a esses rituais selvagens e quem me conhece mesmo bem sabe que não gosto mais ou menos de alguém pelo facto de ir dar beijinhos.

Vamos então marcar limites, proibir os beijinhos não porque isso seria um ai Jesus pior que a lei anti-tabaco , mas as fronteiras do bom senso impõem-se.

A primeira regra já existe nos compêndios da boa educação: Não há beijinhos enquanto uma pessoa estiver a comer. No sentido nutritivo do termo. Se alguém está a apreciar a sua refeição um olá chega!

A segunda regra protege-nos fisicamente. Quando se entra no banco de trás de um automóvel não force as pessoas da frente a cumprimentar com beijinhos. Mesmo o aperto de mão pode ser difícil, mas aí devem ser as pessoas da frente a tomar a iniciativa.

A terceira simplesmente respeita a boa convivência entre nós. Se alguém está no meio de uma conversa animada, numa discussão ou até a contar uma simples anedota, que sentido faz incomodar um bom momento e desatar aos beijinhos só porque se chegou?

Já estamos tão habituados a este absurdo que já nem reparamos, mas que importância é que têm dois beijinhos que faça com que eu me levante, arraste cadeiras, tropece, me debruce em cima de copos e garrafas ou tenha que pedir a meia dúzia de pessoas que se levantem para alguém dar dois beijos a uma pessoa com quem está todos os dias?






por Pedro Chichorro às 20:04
link do post | comente | adicionar aos favoritos

3 comentários:
De João a 1 de Abril de 2008 às 22:48
E isso nem falando na seca que é dar os dois!!! PARA QUÊ?? Um não chega?

Que chatice!


De Pedro Chichorro a 2 de Abril de 2008 às 01:10
Nah, pior équando uma das pessoas pensa que sao dois e outra acha que é um. Mas dpois a que acha que éum vê a outra com a bochecha esticada e vai dar o segundo,mas a outra como acha que afinal um chega, ja se afstou e deixa a outra esticada.

fim aos beijos,pronto! apertem as maos depois de devidamente lavadas


De Anónimo a 9 de Abril de 2008 às 00:37
Depois disto acredita não te dou mais beijos!!!
A Patroinha


Comentar post






.posts recentes

. Ainda alguém lê isto?

. Dicas de poupança - No de...

. Mensagem do futuro

. Bolores engenheiros

. Conversa no Taxi

. Juliette

. Escalada

. Despertador novo, vida no...

. Karma Police israelita

. Janela para o mundo

. Moda Lisboa - Sugestão de...

. Poema de um coronel sensí...

. La Planète sauvage

. A ceguinha

. Regra de ouro do consumis...

. Welcome

. Fátima Lopes

. Um desafio, um ovo e uma ...

. Tem ovo

. Thin Lizzy vs. The Pixies

. Nino Guitar

. Festa inexplicável

. Pequenos gnomos

. Sem querer aventurei-me n...

. Comércio tradicional

. Orgulhos lusitanos

. A quem interessar: encont...

. Números de telefone fácei...

. Gosta de alho? Eu adoro a...

. Vítor Gaspar





Add to Google Reader or Homepage



AddThis Feed Button
AddThis Social Bookmark Button