Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2008
Pigmentação do além

Era eu muito mais novo quando, num programa religioso na rádio, daqueles com pastor e rebanho ao telefone, ouvi uma senhora chorosa dizer que foi à campa do marido pedir-lhe desculpa por se ter envolvido com outro homem.
Dizia a senhora que precisava de ajuda, que o espírito do defunto a perseguia e acrescentou algo que na altura me pareceu perturbador: «Quando vou obrar, só sai negro! Sai terra da campa do meu marido!»
Na altura eu não sabia, mas agora a experiência diz-me que talvez a senhora devesse dar-lhe menos no vinho tinto.



por Pedro Chichorro às 18:48
link do post | comente | adicionar aos favoritos

1 comentário:
De Rock Santeiro a 22 de Janeiro de 2008 às 00:47
Espectáculo! Aconteceu-me o mesmo no Natal. Vá lá que não tive que telefonar a ninguém a desculpar-me...


Comentar post






.posts recentes

. Ainda alguém lê isto?

. Dicas de poupança - No de...

. Mensagem do futuro

. Bolores engenheiros

. Conversa no Taxi

. Juliette

. Escalada

. Despertador novo, vida no...

. Karma Police israelita

. Janela para o mundo

. Moda Lisboa - Sugestão de...

. Poema de um coronel sensí...

. La Planète sauvage

. A ceguinha

. Regra de ouro do consumis...

. Welcome

. Fátima Lopes

. Um desafio, um ovo e uma ...

. Tem ovo

. Thin Lizzy vs. The Pixies

. Nino Guitar

. Festa inexplicável

. Pequenos gnomos

. Sem querer aventurei-me n...

. Comércio tradicional

. Orgulhos lusitanos

. A quem interessar: encont...

. Números de telefone fácei...

. Gosta de alho? Eu adoro a...

. Vítor Gaspar





Add to Google Reader or Homepage



AddThis Feed Button
AddThis Social Bookmark Button